Ansiedade: perfil genético e tratamento farmacológico - Synlab

A importância do perfil genético para o tratamento farmacológico do transtorno de ansiedade.

Publicado por Synlab em 02 de agosto de 2021
Banner Principal Imagem de fundo seção

A ansiedade é um dos principais transtornos psiquiátricos que acometem a população. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1 em 13 pessoas no mundo sofre de ansiedade. Mesmo que o tratamento para ansiedade seja efetivo, somente uma parte das pessoas recebem este tratamento e o caminho para encontrar o mais adequado pode ser árduo. A farmacogenética avalia a resposta individual com base na análise de variantes nos genes mais frequentes associados ao metabolismo dos medicamentos utilizados no tratamento para ansiedade, possibilitando a escolha de um tratamento mais assertivo, eficaz e seguro ao paciente.

 

O que é a ansiedade?

 

ansiedade é caracterizada como uma preocupação excessiva e incontrolável sobre determinadas situações, mesmo na ausência dos respectivos estímulos ou ainda de uma maneira desproporcional ao risco apresentado.

 

A ansiedade também pode ocorrer em conjunto com depressão. De acordo com a Associação Americana de Ansiedade e Depressão quase metade das pessoas com diagnóstico de depressão também sofrem de ansiedade. Existem vários tipos de transtornos de ansiedade, sendo os principais, transtorno de ansiedade generalizada, síndrome do pânico e vários transtornos relacionados à fobia.

 

Quais são os tipos de ansiedade e seus sintomas?

 

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG): Os indivíduos apresentam preocupação excessiva em grande parte dos dias, por ao menos 6 meses, em relação a circunstâncias cotidianas como saúde pessoal, trabalho e interações sociais. É o transtorno de ansiedade mais comum entre adultos mais velhos, no entanto, estes casos estão frequentemente associados a eventos traumáticos.

 

Os sintomas mais comuns de transtorno de ansiedade generalizada incluem:

  • Inquietação, tensão ou nervosismo
  • Cansaço
  • Dificuldade de concentração
  • Irritabilidade
  • Tensão muscular
  • Insônia

Síndrome do pânico: Indivíduos com síndrome do pânico apresentam ataques de pânico recorrentes. Os ataques de pânico são períodos repentinos de medo que atingem seu pico em poucos minutos, podendo ocorrer de maneira inesperada ou por algum gatilho.

 

Os sintomas durante um ataque de pânico são:

  • Taquicardia
  • Sudorese
  • Tremor
  • Sensações de falta de ar, sufocamento ou asfixia
  • Sentimentos de perigo iminente
  • Sentimentos de estar fora de controle

Pessoas com síndrome de pânico geralmente se preocupam com o próximo ataque e tentam ativamente prevenir, evitando lugares, situações ou comportamentos que associem a ataques de pânico. Essa preocupação com futuros ataques de pânico podem resultar no desenvolvimento de agorafobia.

 

Transtornos relacionados à fobia: A fobia é um medo intenso ou aversão a objetos ou situações específicas, como voar, altura e animais.

 

Mesmo sendo comum ficar ansioso em algumas situações, os indivíduos com fobia apresentam uma ansiedade exagerada ao perigo real causado pela situação ou pelo objeto.

 

As pessoas com fobia apresentam uma preocupação/ansiedade excessiva em encontrar o objeto ou situação temida, atitude para evitar o objeto ou situação temida e resistência a objetos e situações inevitáveis com intensa ansiedade.

 

Transtorno de ansiedade social: pessoas com transtorno de ansiedade social apresentam um intenso medo ou ansiedade em relação a situações sociais ou de desempenho. Os indivíduos têm receio que as ações ou comportamentos associados à sua ansiedade sejam avaliados negativamente por outras pessoas, levando-os a evitarem situações sociais.

 

Agorafobia: Os indivíduos com essa condição apresentam um medo intenso de duas ou mais das seguintes situações:

  • Utilizar transporte público
  • Estar em espaços abertos
  • Estar em espaços fechados
  • Estar na multidão
  • Estar fora de casa sozinho

Na forma mais grave de agorafobia, um indivíduo pode ficar confinado em casa.

 

Transtorno de ansiedade de separação: Geralmente associada apenas às crianças. No entanto, os adultos também podem ser diagnosticados com transtorno de ansiedade de separação. Os indivíduos apresentam medo de se separar de pessoas às quais estão apegadas. Esse medo os leva a evitar serem separados de suas figuras de apego e a evitar ficar sozinhos.

 

Tratamentos para os transtornos de ansiedade

 

Os transtornos de ansiedade são altamente tratáveis. Geralmente são tratados com psicoterapia, medicamentos ou ambos, sendo o melhor tratamento indicado pelo especialista responsável. Porém, mesmo sendo um transtorno tratável, apenas 36,9% das pessoas que sofrem de ansiedade recebem tratamento.

 

Tratamento farmacológico:

tratamento farmacológico para a ansiedade é geralmente seguro e eficaz, sendo geralmente utilizado em conjunto com a psicoterapia.

Quatro classes principais de medicamentos são usadas no tratamento de transtornos de ansiedade:

  • Inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRIs) – Os SSRIs promovem a melhora dos sintomas ao bloquear a reabsorção ou recaptação da serotonina pelas células nervosas do cérebro, aumentando o nível de serotonina disponível.
  • Inibidores de recaptação de serotonina-noradrenalina (SNRIs) – Os SNRIs promovem o aumento dos níveis de serotonina e noradrenalina pela inibição da reabsorção das células do cérebro.
  • Benzodiazepínicos: Geralmente são utilizados para o controle de curto prazo da ansiedade e como complementar em casos de resistência ao tratamento. Os benzodiazepínicos são altamente eficazes na promoção do relaxamento e na redução da tensão muscular e outros sintomas físicos de ansiedade. O uso a longo prazo pode exigir doses maiores para atingir o mesmo efeito, o que pode levar a problemas relacionados à tolerância e dependência.
  • Antidepressivos tricíclicos: A preocupação com o uso prolongado dos benzodiazepínicos levou muitos médicos a preferir os antidepressivos tricíclicos (bloqueio de recaptura de monoaminas, principalmente noradrenalina, serotonina e dopamina).

No entanto, o caminho para encontrar um tratamento eficaz para a ansiedade pode ser longo, uma vez que os medicamentos e as dosagens diferentes são geralmente testados até que o tratamento que realmente ajude o paciente seja identificado.

 

Farmacogenética para Ansiedade

 

Diversos genes atuam na expressão de enzimas do citocromo P450, sendo este o principal metabolizador de fármacos. Com isso, variantes nestes genes podem resultar em uma resposta diversificada aos medicamentos. A farmacogenética, objetiva avaliar a influência dos genes na resposta individual aos medicamentos.

 

Sobre o exame FG Neuro Ansiedade da SYNLAB

 

Com o intuito de auxiliar na assertividade e individualização do tratamento farmacológico para ansiedade, a SYNLAB disponibiliza o exame FG Neuro Ansiedade, que estuda variantes genéticas nos principais genes (CYP3A4, CYP3A5 e CYP2C19) envolvidos na expressão das enzimas metabolizadoras que estão relacionadas com efeito e toxicidade dos 13 medicamentos mais utilizados para o tratamento de ansiedade:

  • Alprazolam
  • Bromazepam
  • Clobazam
  • Clorazepato
  • Clorodiazepóxido
  • Diazepam
  • Doxepina
  • Flunitrazepam
  • Cetazolam
  • Lormetazepam
  • Triazolam
  • Zolpiden
  • Zopiclona

 

Qual a metodologia utilizada na realização do exame?

O exame FG Neuro Ansiedade da SYNLAB é realizado por Sequenciamento de Nova Geração (NGS), proporcionando uma maior agilidade do processo, alto rendimento e maior sensibilidade da análise (99%).

 

Quais os benefícios que o exame FG – Neuro Ansiedade pode oferecer?

Através da análise das variantes nos principais genes envolvidos na expressão das enzimas metabolizadoras dos fármacos, é possível classificar o metabolismo para cada medicamento analisado, com o objetivo de auxiliar o médico prescritor em um tratamento mais efetivo e com menor risco de efeitos secundários, possibilitando um tratamento mais assertivo em menor tempo.

 

Para quem é indicado?

O exame FG Neuro Ansiedade oferecido pela SYNLAB é indicado para:

  • Pacientes em tratamento farmacológico que desejem personalizar a medicação baseados no seu perfil genético.
  • Pacientes com efeitos secundários aos fármacos.
  • Pacientes nos quais os tratamentos farmacológicos não apresentem os resultados esperados.
  • Pacientes que vão iniciar o tratamento farmacológico.

 

Outros exames de farmacogenética oferecidos pela SYNLAB

A SYNLAB possui uma ampla disponibilidade de exames de farmacogenética. Saiba mais em nosso artigo Farmacogenética: Influência das variantes genéticas no metabolismo dos medicamentos

 
Sobre o Grupo SYNLAB
 

O Grupo SYNLAB é líder na prestação de serviços de diagnóstico médico na Europa, disponibilizando uma gama completa de serviços de análise clínica laboratorial a pacientes, profissionais de saúde, clínicas e indústria farmacêutica. Proveniente da união da Labco com a SYNLAB, o novo Grupo SYNLAB é o indiscutível líder europeu em serviços de laboratório médico.

Conheça o exame Icone Next

Postagens relacionadas

2 de agosto de 2021

A importância do perfil genético para o tratamento farmacológico do transtorno de ansiedade.

A ansiedade é um dos principais transtornos psiquiátricos que acometem…

Continuar lendo Icon Next
24 de maio de 2021

Farmacogenética: Influência das variantes genéticas no metabolismo dos medicamentos

O  que é  farmacogenética? Diversos genes são responsáveis pela expressão…

Continuar lendo Icon Next
22 de maio de 2019

A contribuição da farmacogenética no tratamento de patologias neurológicas.

Até 70% dos pacientes de doenças neurológicas não respondem ao…

Continuar lendo Icon Next

Busque no nosso blog

Queremos dividir nossas novidades com você!

Assine nossa Newsletter e receba os conteúdos mais relevantes sobre medicina diagnóstica no mundo.

Obrigado por se cadastrar em nossa Newsletter!

Este E-mail já está cadastrado!

Ocorreu um erro por favor tente mais tarde!

Fale conosco